• Lizete de Paula

UMA URGÊNCIA PARA NOSSA HUMANIDADE - ESSÊNCIA MOARA

MOARA, a rede do amor

Afirmação: A doação e a troca são meus portais rumo ao amor universal. Eu expando e compartilho amor.


Uma das mais lindas essências da Ararêtama - Florais da Mata Atlântica, Moara, é um líquen.


Segundo Merlin Sheldrake no seu premiado livro A TRAMA da VIDA - Como os Fungos Constroem o Mundo, um líquen é o resultado de uma relação simbiótica entre um fungo e uma alga. Seres diferentes que se associam, segundo a necessidade de cada um. Não se tornam um, mas continuam dois nessa parceria, em que acabam sendo mais que a soma das partes, e onde "uma condição crítica precisava ser satisfeita para que surgisse uma relação simbiótica". Nem todo fungo se associa a toda alga. Cada um dos parceiros deve ser capaz de fazer algo que o outro não conseguiria sozinho.



Trata-se de um conceito surgido no século 20, que é o da colaboração entre os reinos e que transformou a compreensão de.como as formas de vida complexa evoluiram .


Lynn Margulis, bióloga americana, uma visionária e que é considerada uma das heroínas da biologia no século 20, deu à simbiose papel central na evolução das primeiras formas de vida. Ela argumentava que alguns momentos mais significativos da evolução eram resultado da união de organismos diferentes. E essa uniões eram permanentes. As vidas complexas que se seguiram, incluindo as humanas, foram uma história duradoura de "intimidade de estranhos". (M. Sheldrake)

Os ancestrais das plantas de hoje, surgiram da combinação de organismos que faziam fotossíntese com organismos que não faziam.


Os líquens não se definem por suas partes, mas sim pela troca entre as partes. Eles são redes estáveis de relacionamentos, que podem ser ampliados para mais parceiros. Eles são então, "sistemas dinâmicos", não apenas duais.

" Esse tipo de construção de relacionamento é a expressão de uma das máximas evolutivas mais antigas. Se a palavra "ciborgue" - abreviação de organismo cibernético - descreve a fusão de um organismo vivo e um dispositivo tecnológico, então nós, como todas as outras formas de vida, somos "simborgues, ou organismos "simbióticos".

(Lembrar que nosso corpo é uma cultura de diferentes bactérias, que podem estar em equilíbrio ou desequilíbrio.)


"Os autores de um artigo seminal, sobre a visão simbiótica da vida tem uma visão clara sobre esse ponto. "Nunca houve indivíduos", declaram. "Somos todos líquens". (M.Sheldrake)

Fiquei tão encantada com o livro, em especial o capítulo 3 - Intimidade de Estranhos, que retirei alguns trechos que achei mportantes. A biologia, nos levando a refletir, como essa trama está em todos os aspectos de nossas vidas.

Saindo da biologia e levando para a esfera dos relacionamentos interpessoal, percebi com maior clareza a profundidade do trabalho que realiza em nós a essência Moara.


Em um momento planetário tão difícil, de guerras, pandemia, ódio, com grupos querendo eliminar tudo que é diferente, Moara vem nos dar uma linda lição de relacionamento dinâmico , pois cada parceria com um diferente leva a uma riqueza imensa de conhecimento, de afetos, de crescimento e expansão.






O líquem Moara está aí, à nossa disposição, para nos ajudar a expandir o fluxo infinito da fonte da vida, a conscientizar sobre o amor pessoal e o incondicional e a desenvolver nosso sentido de coletivo, porque não somos indivíduos, somos todos líquens.


Abraços,

Lisete de Paula

 

Sobre Lizete de Paula


Terapeuta Floral desde 1990, Professora Credenciada em Florais de Bach, Facilitadora HealingHerbs desde 2002 e Araretama - Florais da Mata Atlântica.


Presidente honoraria CONAFLOR - Conselho Nacional de Autorregulamentação da Terapia Floral. Diretora Presidente das gestões 2008/2010 e Vice-Presidente da gestão 2014/2016 da RIOFLOR - Associação de Terapeutas Florais do RJ.



 

Leia também os outros posts de Lizete de Paula






27 visualizações0 comentário